Visitas
172162

Slide background
Slide background

Acesse o Livro gratuito on line Manifesto.

Este livro é um conjunto de textos que procura passar ao leitor a visão que se escritor tem do mundo e o modo como encara os problemas e as diferenças.


Texto retirado do livro Manifesto

Escrito por Daniel de Melo Costa



Interpretação da Bíblia


 

manifesto

Há algo que podemos concluir do que lemos no Velho Testamento, em especial em seus primeiros livros, sobre a tentativa de Deus em participar da vida da humanidade. A princípio Deus criou o mundo e tudo o que nele habita. E Deus criou o homem para viver neste nosso planeta. A medida que o homem foi se reproduzindo e povoando a Terra, Deus percebeu que o homem era mal, ganancioso. As injustiças e arbitrariedades foram tantas que foi necessário Noé construir uma arca para poder fugir do longo dilúvio que caiu sobre a Terra. Após esse episódio, um dos filhos de Noé, Abrão, que mais tarde se chamaria Abraão teve um pacto com Deus e dele surgiu a nação de Israel. Israel foi o povo escolhido por Deus. Deus queria através desse povo ensinar os mandamentos e leis que os homens deveriam (devem) seguir e mostrar as nações o seu poder. Entretanto no caminho deste projeto, o povo rejeitou a Deus e a seus ensinamentos. Deus mostrou o caminho a ser seguido, porém o povo não aceitou, pois como dito, o povo era constituído de pessoas arrogantes, orgulhosas, gananciosas e não queriam justiça, eram pessoas más. Deus então abandonou o povo e através de profetas foi alertando sobre o que estaria por vir e anunciou aquele que será a porta para o Reino do Céu, anunciou a vinda de Jesus Cristo, filho de Deus, para que todo aquele que acreditar nele e guardar as suas palavras receba a vida eterna em um Novo Mundo, diferente deste em que vivemos agora. Em resumo, essa é a história. 

mandamentos-de-deus

Para melhor entender a história é preciso ler cada passo e cada situação. Citaremos então algumas passagens: Deus através de Moisés libertou o povo de Israel da escravidão no Egito. O povo marchou até um monte, chamado de monte Sinai, mas neste caminho sofreram algumas provações, como no momento em que o povo se viu encurralado entre o mar e os soldados do Egito, que queriam novamente escravizar o povo de Israel. Moisés então levantou os braços e o mar se dividiu em dois e o povo conseguiu passar pelo mar até chegar ao outro lado. Depois o povo acampou perto do Monte Sinai onde Moisés subiu e ficou quarenta dias e quarenta noites. Foi ali que Moisés recebeu as tábuas da Lei. Não se tratava apenas de dez mandamentos como a Igreja alega, se tratava de muitos outros mandamentos e todos foram escritos nas duas tábuas, de um lado e do outro lado das tábuas. Moisés desceu o monte e encontrou o povo cometendo profanações e heresias, idolatrando um bezerro de ouro. Este é apenas um dos vários episódios que envolveram Deus e o povo de Israel. Com esta atitude o povo de Israel mostrava um total desrespeito com aquele que lhes tirou do Egito. Pois foi Deus Javé quem tirou o povo da escravidão do Egito e o povo agora fazia festa para uma estatua em forma de bezerro, que não fala e nem ouve. 

espirito-santo-de-deus

Os mandamentos de Deus são perfeitos, e mostram como as pessoas devem proceder para que não prejudiquem o seu próximo e amem a Deus acima de todas as coisas. Vejamos, pela ordem em que Deus escreveu: 1 - Não tereis outros Deuses diante de mim. Deus com este mandamento mostra ao povo que devem amar a Deus acima de todas as coisas. Mas se o povo elege outros deuses, o povo coloca o verdadeiro Deus em segundo plano. Se você coloca o dinheiro em primeiro lugar, você não esta amando Deus, mas as riquezas materiais. 2 – Amar ao próximo como a ti mesmo. Esse mandamento a princípio não esta entre os mandamentos escritos nas tábuas da Lei, porque este mandamento foi Jesus quem acrescentou. Jesus fala da necessidade das pessoas se amarem e se tolerarem. 3 - Não pronunciar o nome de Deus em vão. Quantas vezes vemos pessoas falando “Meu Deus do Céu”, “Ai Meu Deus”, sem nenhuma necessidade? Deus não gosta de quem usa o nome dele em vão, pois seu nome é sagrado. 4 - Lembra do dia de Sábado, para o santificar. Deus colocou o sábado como dia de descanso e para que as pessoas se reúnam em oração. Hoje em dia as pessoa trabalham todos os dias, não respeitam o dia santo de sábado. Não oram. Não se lembram de Deus. 5 – Honrar pai e mãe. Seus pais colocaram você no mundo, respeito é o mínimo que você pode dar, entretanto vejo filhos debocharem dos pais com certa frequência. 6 – Não matar. Esse mandamento condena o exercício arbitrário das próprias razões. Não se deve matar em hipótese alguma. 7 – Não cometerás adultério. Este mandamento é um dos mais transgredidos. No mundo atual nem se fala. Quando você casa com alguém, você assume um compromisso de fidelidade e respeito. Entretanto se a pessoa “pula a cerca”, se assume um relacionamento extra conjugal, ela esta desrespeitando a pessoa com quem se casou. Em muitos casos a relação extra conjugal se torna a principal e aí temos uma quebra de fidelidade, compromisso e respeito para com quem a pessoa casou primeiramente. É um ato infiel. Se a pessoa separa da outra e casa com uma segunda, ela também quebrou seu pacto de amor e fidelidade. O que Deus uniu, ninguém separe. Hoje vemos tantas separações, tanta falta de compromisso com o ser humano. As pessoas casam e devem se amparar uma a outra na saúde, na doença, na pobreza e na riqueza. Porque o casamento só vale quando a pessoa esta bem? Que egoísmo é esse? As pessoas tem virtudes e defeitos, ninguém é perfeito. Onde fica a tolerância? A compreensão? Outro detalhe é que no casamento, adultério não é só casar com outra pessoa. Se você deseja outra pessoa, se aquela outra pessoa não sai da sua cabeça, ainda que você não se separe, você estará cometendo adultério. Porque querendo ou não você estará trocando uma coisa pela outra. 8- Não roubar. Esse mandamento mostra que as pessoas não devem se apropriar do que não lhes pertence. Não é justo você comprar um carro com o dinheiro do seu trabalho e alguém se apoderar dele, sem pagar por isso. Não é justo a pessoa se enriquecer as suas custas. 9 – Não levantar falso testemunho. Você quer uma injustiça como acusar alguém de algo que ele não fez? Ou de dizer que alguém não fez algo que fez de fato? Pois é, se você faz isso você passa a ser cúmplice de um crime, um erro, uma injustiça. 10 – Não cobiçar as coisas do seu próximo. Se você cobiça as coisas do seu próximo, muito provavelmente irá fazer algo para obtê-las, ou sentirá inveja e isso irá refletir em suas ações, em seu ânimo. 

biblia-sagrada

Depois Deus ainda cita vários outros mandamentos que são encontrados em Êxodo, capítulo 20. Cito alguns deles, como por exemplo: Emprestar entre o povo sem cobrar juros. Deus mostra que não é certo ganhar dinheiro em cima das pessoas mais necessitadas. Outro: Não torcer o direito a fim de absolver o culpado ou condenar o inocente, ou ainda favorecendo o rico ou o pobre. Deus mostra que o homem deve ser justo, não deve manipular os fatos em favor de alguém, para beneficiar alguém e prejudicar outro, seja ele rico, pobre, amigo, enteado, parente ou o que seja. Outro: Não aceitar suborno ou presentes. Esse mandamento é um complemento do anterior, quem aceita suborno ou presentes provavelmente irá, de alguma forma, beneficiar o remetente e isso não seria justo. Outro: Não praticar o incesto (tipo casamento entre parentes). Seria extremamente promíscuo se parentes se casassem, rimagina a falta de respeito. Imagine uma neta casando com um avô. Um pai tendo relações com a filha. Um irmão casando com uma irmã. Repugnante. Outro: Não ter dois pesos e duas medidas. Aqui Deus fala da hipocrisia. Uma pessoa comete um erro e tem uma sentença “x”, outra pessoa comete o mesmo erro e tem uma sentença “y”. O tratamento diferenciado entre pessoas é pecado. Todos devem ser tratados de forma igual. Outro: Proteger o órfão, a viúva e o estrangeiro. Essas pessoas citadas normalmente são pessoas mais vulneráveis aos problemas sociais, por isso o mandamento. A ideia é que essas pessoas não fiquem desamparadas em um momento de infortúnio. Como você pode ver, Deus queria justiça e amor entre as pessoas quando entregou os mandamentos para Moisés no Monte Sinai. Entretanto o povo se rebelava cada vez mais, pois serviam aos interesses mundanos e esqueciam de Deus e seus mandamentos. 

Depois do acampamento no Monte Sinai, o povo de Israel seguiu para a terra prometida mas teve que passar um longo período caminhando sobre o deserto. Neste período Deus alimentava o povo com o Maná, que era uma semente que caía do Céu. Durante seis dias o povo catava as sementes, no sexto dia as semente caiam em dobro para que as pessoas não precisassem catar no sétimo dia. Veja que desde aquele momento o sétimo dia era respeitado. Porém durante a viagem no deserto aconteceram alguns episódios em que o povo de Israel se rebelou contra Deus. Um desses episódios foi quando o povo questionou a autoridade de Moisés e sofreram consequências em razão disso. O povo não estava simplesmente questionando a autoridade de Moisés, eles estavam questionando a autoridade de Deus que colocou Moisés como pastor. Em outro momento o povo se rebelou porque estava cansado de comer maná. Ao invés do povo agir com humildade, começaram a questionar a autoridade de Deus, e sofreram novas consequências. Ainda em um outro momento o povo começa a se rebelar porque não tem água. O povo a todo instante questionava a autoridade e o poder de Deus, mesmo vendo todos aqueles milagres que ele fazia. Por causa das blasfêmias que eles diziam Moisés não chegou a entrar na terra prometida. O povo foi conduzido por outro pastor, Josué. Depois que Josué morreu, o povo já não via sinais com tanta frequência e eram alertados através de profetas, e então o povo começou a profanar a terra santa com idolatrias a outros deuses e não seguiam os mandamentos de Deus. 

manifesto-177

 

 

Quando o povo se instalou na terra prometida, muitos povos que ali ainda habitavam não foram expulsos e eles posteriormente fizeram guerra contra o povo de Israel. O povo de Israel era rebelde e pecador. Nesse início ocorreu a fase dos juízes de Israel, que eram pessoas que conduziam rebeliões para libertar Israel dos povos opressores. Depois desta fase, surgiram os reis de Israel, que começou com o rei Saul, que não agradou a Deus e sua descendência foi substituída pelo rei Davi. Deixe-se claro que nunca foi a intenção de Deus que Israel tivessem reis, pois Deus era o rei de Israel. Essa passagem esta no livro do profeta Samuel (1 Samuel 8: 6-9): "Estas palavras: Dá-nos um rei que nos governe, desagradaram a Samuel, que se pôs em oração diante do Senhor. O Senhor disse-lhe: Ouve a voz do povo em tudo o que te disseram. Não é a ti que eles rejeitam, mas a mim, pois já não querem que eu reine sobre eles. Fazem contigo como sempre o têm feito comigo, desde o dia em que os tirei do Egito até o presente: abandonam-me para servir a deuses estranhos. Atende-os, agora; mas declara-lhes solenemente, dando-lhes a conhecer os direitos do rei que reinará sobre eles." Davi foi um rei fiel a Deus durante toda a sua vida e seu sucessor foi o rei Salomão. O rei Salomão era um rei sábio, em sua época Israel não teve guerras, entretanto depois de certa idade Salomão traiu a confiança de Deus ao passar a oferecer oferendas a outros deuses pagãos. Por causa da traição de Salomão o reino de Israel foi dividido. O povo de Israel era constituído de doze tribos. Uma das tribos, a tribo dos levitas, não tinha parte na terra, era a tribo responsável pelo templo e pelas oferendas, as outras tribos foram divididas, dez tribos formaram o Reino de Israel e uma tribo formou o Reino de Judá. O Reino de Judá era reinado pela descendência de Davi e o Reino de Israel passou a ter um outro rei, chamado Jeroboão. Este rei Jeroboão, era um rei perverso, mal, injusto, e só praticava abominações, desagradava muito a Deus, os reis que se seguiram, tanto do Reino de Israel, quanto do Reino de Judá eram reis maus, praticavam diversas abominações e não se lembravam dos mandamentos de Deus, pelo contrário os mandamentos foram postos de lado. Roubavam, matavam, cometiam adultérios, praticavam muitas injustiças. Por causa da maldade do povo e de sua rebeldia, Nabucodonosor, rei da Babilônia, destruiu o que restou dos reinos de Israel e destruiu o templo sagrado, levando o que sobrou do povo para o exílio. Posteriormente a terra prometida foi devolvida ao povo de Israel. Roubavam, matavam, praticavam incesto, adultério e etc. O povo literalmente abandonou a Deus e seus ensinamentos, mesmo tendo visto todos aqueles feitos e milagres que Deus fez ao conduzir o povo para a terra prometida.

jesus-cristo-manifesto

Transcrevo aqui alguns trechos do velhos testamento e do novo testamento: (Ezequiel 18 20-32): "É o pecador que deve perecer. Nem o filho responderá pelas faltas do pai nem o pai pelas do filho. É ao justo que se imputará sua justiça, e ao mau a sua malícia. Se, no entanto, o mau renuncia a todos os seus erros para praticar as minhas leis e seguir a justiça e a equidade, então ele viverá decerto, e não há de perecer. Não lhe será tomada em conta qualquer das faltas cometidas: ele há de viver por causa da justiça que praticou. Terei eu prazer com a morte do malvado? - oráculo do Senhor Javé. - Não desejo eu, antes, que ele mude de proceder e viva? E, se um justo abandonar a sua justiça, se praticar o mal e imitar todas as abominações cometidas pelo malvado, viverá ele? Não será tido em conta qualquer dos atos bons que houver praticado. É em razão da infidelidade da qual se tornou culpado e dos pecados que tiver cometido que deverá morrer. Dizeis: não é justo o modo de proceder do Senhor. Escutai-me então, israelitas: o meu modo de proceder não é justo? Não será o vosso que é injusto? Quando um justo renunciar à sua justiça para cometer o mal e ele morrer, então é devido ao mal praticado que ele perece. Quando um malvado renuncia ao mal para praticar a justiça e a equidade, ele faz reviver a sua alma. Se ele se corrige e renuncia a todas as suas faltas, certamente viverá e não perecerá. E eis que a casa de Israel pretende que o modo de proceder do Senhor não seja justo! Não é acaso o vosso modo de proceder que é injusto? Assim, pois, casa de Israel, é segundo o vosso próprio proceder que julgarei cada um de vós - oráculo do Senhor Javé. Convertei-vos! Renunciai a todas as vossas faltas! Que não haja mais em vós o mal que vos faça cair. Repeli para longe de vós todas as vossas culpas, para criardes em vós um coração novo e um novo espírito. Por que haveríeis de morrer, israelitas? Não sinto prazer com a morte de quem quer que seja - oráculo do Senhor Javé! Convertei-vos, e vivereis!" (Malaquias 3 e 4): "Agora, temos por ditosos os arrogantes e prosperam os que cometem a iniquidade; ousam, até, tentar a Deus e escapam ao castigo. Assim falavam os que temem o Senhor. Mas o Senhor ouviu atento: diante dele foi escrito o livro que conserva a memória daqueles que temem o Senhor e respeitam o seu nome. Eles serão para mim um bem particular - diz o Senhor dos exércitos – no dia em que eu agir; tratá-los-ei benignamente como um pai trata com indulgência o filho que o serve. E vereis de novo que há uma diferença entre justo e ímpio, entre quem serve a Deus e quem não o serve. Porque eis que vem o dia, ardente como uma fornalha. E todos os soberbos, todos os que cometem o mal serão como a palha; este dia que vai vir os queimará - diz o Senhor dos exércitos - e nada ficará: nem raiz, nem ramos. Mas, sobre vós que temeis o meu nome, levantar-se-á o sol de justiça que traz a salvação em seus raios. Saireis e saltareis, livres como os bezerros ao saírem do estábulo. Pisareis aos pés os ímpios, os quais serão pó, sob a planta de vossos pés, no dia em que eu agir - diz o Senhor dos exércitos. Lembrai-vos da Lei de Moisés, meu servo, a quem prescrevi ordenações e mandamentos para todo o Israel no monte Sinai. E as palavras de Jesus: (Mateus 7 21-27): "Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitas maravilhas? E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade. Todo aquele, pois, que escuta estas minhas palavras, e as pratica, assemelhá-lo-ei ao homem prudente, que edificou a sua casa sobre a rocha; E desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa, e não caiu, porque estava edificada sobre a rocha. E aquele que ouve estas minhas palavras, e não as cumpre, compará-lo-ei ao homem insensato, que edificou a sua casa sobre a areia; E desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa, e caiu, e foi grande a sua queda." (Mateus 5 17-18): "Não julgueis que vim abolir a lei ou os profetas. Não vim para os abolir, mas sim para levá-los à perfeição. Pois em verdade vos digo: passará o céu e a terra, antes que desapareça uma vírgula, um traço da lei." Jesus ensina que devemos sempre perdoar o pecador verdadeiramente arrependido e repartir os bens com os mais necessitados. Leia a Bíblia.

 

Daniel de Melo Costa